CLASSIFICAÇÃO DO AZEITE

AZEITES VIRGENS

São azeites obtidos a partir do fruto da oliveira unicamente por processos mecânicos, ou outros processos físicos em condições que não alterem o azeite e que não tenham sofrido outros tratamentos além da lavagem, da decantação, da centrifugação e da filtragem.

Os azeites virgens dividem-se em:

AZEITE VIRGEM EXTRA
Azeite excelente, sua acidez, expressa em ácido oleico, não pode ser superior a 0,8%. Não sofre nenhum refino químico, por isso é mais puro e mais rico em nutrientes, sendo o mais saudável e saboroso entre todos os azeites. Além disso, existem disposições normativas, que regem fatores físicos e químicos, bem como questões sensoriais (odor e gustativo) que caracterizam o azeite extra virgem.

AZEITE VIRGEM
Azeite de boa qualidade, pode apresentar ligeiríssimos defeitos de cheiro e sabor quando em comparação ao extra virgem, sua acidez, expressa em ácido oleico, pode ser entre 0,8 e 2%

AZEITE LAMPANTE
É um azeite com uma acidez, expressa em ácido oleico, superior a 3,3%. Este azeite não pode ser consumido diretamente, para ser comercializado deve sofrer refinação.

OUTROS TIPOS DE AZEITE
Do processamento do azeite lampante surgem outros dois tipos de azeite que podem ser comercializado:

AZEITE REFINADO
É o azeite lampante refinado quimicamente, cujo processo resulta em perda do gosto, cor, aroma e parte das vitaminas (20 a 40%) e outros nutrientes (inclusive alguns beníficos à saúde). A acidez deste tipo de azeite pode ser a partir de 0,5%.

AZEITE COMPOSTO
É um azeite mais barato, constituído de azeite refinado misturado com outros tipos de óleos, como o de soja, por exemplo. Portanto, não tem o gosto característico de azeite e tem uma qualidade inferior.